domingo, fevereiro 01, 2009

Aqui nesse mndinho fechado...

É impressionante como sem querer a gente se fecha num mundinho nosso e é capaz de não enxergar um palmo diante do nariz sob qualquer perspectiva além da nossa própria.
Tem um rapaz que trabalha aqui no escritório, ele é especial, tem problemas de mentalidade, mas é dono de uma independência e de uma teimosia que olha, as vezes só rezando...defeitos a parte, as opiniões dele sempre me ensinaram algumas coisas...
Em pleno século XXI e o cara lá ainda preso aos preconceitos machistas da sociedade, do tipo cor-de-rosa é coisa de mulher e azul é coisa de homem. E por outro lado as malícias e malandragens que ele aprendeu na rua contrastam fortemente com os pensamentos quadrados e até inocentes que ele expõe.
Hoje ele me deixou perplexa, eu quase dei um grito, aliás, acho que esse post serve como manifesto calado da minha indignação.
Ele faz a gente acreditar que ele estuda – supletivo – e que está cursando a segunda série do ensino fundamental, mas a questão é que ele não sabe ler, ou melhor, tem preguiça!
Ele junta a primeira sílaba e o resto ele adivinha, o que não nos deixa nada feliz aqui no trabalho...Hoje, eu e minha colega de trabalho comentávamos sobre livros e afins literários e ele lá, nos encarando com uma cara de ociosidade, quando surge o questionamento: “Você está praticando sua leitura? Cadê o livro que você ganhou? Não vai ler?”
Ele sorriu maliciosamente, acenou negativamente com a cabeça e soltou um sonoro e ardoroso: “ Eu nããããão!” – Eu embraveci, fechei a cara e aumentei o tom de voz: “Se você continuar assim, nunca vai aprender a ler, é isso que você quer? Você não quer tanto tirar CNH? Sem saber ler, como vai passar na prova do DETRAN? Sem ler não dá não, e olha que tem que saber ler bem”. Minha colega concordou, me ajudou com os argumentos e ele lá, sem dizer nenhuma palavra, com a mesma cara de indiferença.
- “Você precisa ler, precisa praticar! Quer um livro? Uma revista?” – Eu tentei.
Ele insistia pelo não, eu fui tomada por indignação: “Por acaso você não quer terminar a escola?”, ele me aliviou ao responder que sim. “E não quer chegar a fazer uma faculdade?” – Ignorei as questões financeiras e esperei a resposta positiva, mas foi aí que a realidade desabou literalmente na minha cabeça, crua, fria e intragável: “Eu não!” – ele respondeu tão sinceramente que eu não acreditei: “Não quer fazer faculdade? Você não quer entrar numa faculdade? Aprender uma profissão?” E ele riu, e disse como se tivesse razão: “Pra ser motorista de ônibus, precisa fazer faculdade? Não precisa, então...”
É, pra ser motorista de ônibus não precisa. Eu achei que todo mundo tivesse um sonho, mesmo que nunca fosse realizar, só pra seguir de ideal e tentar sempre se superar, ser melhor pra si mesmo.
A realidade dele é outra, a realidade de muitas outras pessoas é outra! O padrinho-herói dele é cobrador de ônibus, e pra ele, essa é a profissão mais promissora que ele poderia alcançar, e se desse muita sorte, poderia ainda ser motorista!
Claro que são profissões muito dignas e merecedoras de nossos agradecimentos, afinal graças a esses profissionais o mundo tem como se locomover publicamente por aí, mas o que me impressionou, foi o fato dele se acomodar na idéia de que a faculdade não o levaria a nada, pois a profissão dos sonhos dele, não tem tal exigência.
E assim é o mundo la fora, o mundo além do que eu enxergava. Há pessoas que não precisam ser melhor, só querem viver e isso já está de bom tamanho.
Eu só me questiono se isso é realidade ou comodidade.

5 comentários:

Zaah disse...

Gostei do blog.
PROMETO que vou ler tudinho. =}

· Dany Souza disse...

Realmente, eu me impressionei um pouco. Quer dizer, ter uma expectativa tão pequena como essa e tal. Respeito muito os profissionais dessas áreas, mas acho que as pessoas devem mesmo, como você mesma disse, ter um sonho, sei lá. Seguir um objetivo maior.
O blog está lindoo como sempree!
Beijoos. Boa semana pra vc

http://secrets-specials.blogspot.com/

. Laura disse...

É dificil acreditar que tem gente que se conforma com tão pouco... eu admiro muito esses profissionais, mas temos que sempre procurar progredir e não se acomodar! Eu acho lamentável o pensamento desse homem (:

. Laura disse...

linkei!

Pamella Abreu disse...

Oi, vi seu blog numa revista (Sei que tem muito tempo) e vim dá uma conferida.

Muito interessante o seu blog, se der, dê uma passadinha no meu também?

Beijos...
http://sonetodeumamanha.blogspot.com/